Carregando...



Angioskope

INOVAÇÃO DESDE 2008


A Angioskope tem o prazer de anunciar a chegada deste moderníssimo dispositivo ao Brasil: O Apollo Oversticth.

REDUÇÃO DE ESTÔMAGO POR GASTROPLASTIA ENDOSCÓPICA – COMO FUNCIONA?
Ele é um aparelho que, acoplado à ponta do endoscópio, permite a realização de sutura (dar pontos) endoscópica “full thickness” (que pega toda a parede do estômago), tudo por ENDOSCOPIA, sem cortes, sem cirurgia, com muito mais segurança, e com alta no mesmo dia.

Este procedimento é indicado para quem tem IMC acima de 30 (Obesidade grau I), é uma “cirurgia bariátrica” tipo Sleeve por endoscopia. Nesta modalidade, o estômago tem o seu volume significativamente diminuído (são dados pontos no estômago por dentro, fazendo com que ele “murche”. Ele adquire a forma de um tubo, fica tunelizado, comportando uma quantidade de comida infinitamente menor).
O procedimento é realizado integralmente por endoscopia, sem cortes, com recuperação imediata e alta no mesmo dia.

O procedimento geralmente tem durabilidade média de 45 a 90 minutos. É realizada em ambiente hospitalar sob anestesia geral administrada por um anestesiologista. O controle pós procedimento do paciente é mantido em regime hospitalar por 12 a 24 horas, com início à dieta líquida progressiva. O tratamento é mantido inicialmente com anti-ácidos, analgésicos e anti-eméticos na demanda necessária durante a primeira semana.

O procedimento da Gastroplastia Endoscópica é semelhante à cirurgia de Sleeve gástrico, mas é uma opção não cirúrgica. Todo o procedimento é feito através da boca para que não haja incisões necessárias. O procedimento reduz o tamanho do estômago em três vezes o tamanho de sua capacidade original. Um benefício em comparação com a cirurgia é ser um procedimento reversível. Além disso, pode ser refeito caso o paciente necessite de novo redimensionamento do seu estômago. É preferido por alguns pacientes que são contraindicados para a Cirurgia Bariátrica, ou optam por não a fazer.

GASTROPLASTIA ENDOSCÓPICA TIPO SLEEVE EM VÍDEO MÉTODO APOLLO OVERSTITCH

Uso na revisão de cirurgias bariátricas antigas: Procedimento indicado para quem já realizou cirurgia bariátrica (não importa qual) e voltou a ganhar peso. Com o aparelho, podemos diminuir ainda mais o tamanho do estômago remanescente e/ ou da anastomose (ligação do estômago com o intestino). Se aplica a todas as modalidades de cirurgia, como o Bypass, Y de Roux, Capella, Sleeve, Scopinaro, etc…

Dúvidas:

1- O que é Gastroplastia Endoscópica tipo Sleeve?
Uma Gastroplastia Endoscópica é um procedimento redução de estômago minimamente invasivo. É um procedimento de perda de peso oferecido aos pacientes que são candidatos a um procedimento bariátrico ou contraindicado a uma cirurgia bariátrica.

2- O que acontece durante o procedimento?
Usando um dispositivo endoscópico de sutura, o endoscopista reduz o volume do estômago, resultando em forma de um tubo gástrico. O paciente é colocado sob anestesia geral e o médico inicia uma endoscopia. As suturas são inseridas em um padrão específico da parte distal do estômago (antro) até o fundo gástrico.

3- Quem pode se qualificar para uma Gastroplastia endoscópica?
Para estar apto ao procedimento, o paciente deve apresentar o IMC mínimo de 30 (obesidade grau I), não havendo limite máximo de IMC. Portanto, o procedimento está indicado para todos os graus de obesidade (I, II e III). Está indicado também para pacientes que já realizaram cirurgia bariátrica no passado e voltaram a ganhar peso (reganho de pelo menos 10% do peso mínimo alcançado após a cirurgia bariátrica).

4- Uso na revisão por falha de Cirurgia Bariátrica tipo Bypass (Fobi-Capela) após Reganho de Peso.
Você já realizou a Cirurgia Bariátrica tipo Bypass (Fobi Capela) e apresentou reganho ou parada precoce de perda de peso? Considere a Sutura Endoscópica pelo Sistema Overstitch como revisão cirúrgica por endoscopia.

5- O que é a Cirurgia do Bypass Gástrico.
O procedimento cirúrgico para obesidade mais popular e eficaz existente é a Cirurgia do Bypass Gástrico, sendo ao mesmo tempo um processo restritivo, através da criação de uma pequena bolsa gástrica, e uma reconstrução de má absorção por meio da criação de um desvio intestinal.
Assim como qualquer outro método cirúrgico bariátrico, este procedimento falhará em 20 a 35% dos pacientes por uma variedade de razões que são provavelmente multifatoriais, dentre elas a não adesão à mudança do estilo de vida saudável.

6- Por que o Bypass gástrico às vezes falha?
A falta de resposta ao Bypass gástrico como cirurgia anti-obesidade, é muitas vezes referido a reincidência de bypass como pós-gástrica.
A recuperação do peso após bypass gástrico pode muito bem-estar relacionado a maus hábitos alimentares psíquicos, como também comportamentais. No entanto, muitos estudos clínicos científicos têm demonstrado que a bolsa do estômago (pouch gástrico) feita menor pela cirurgia pode gradualmente esticar e alargar, assim como a abertura (anastomose) entre o novo estômago e o intestino, fazendo com que o paciente perca a sensação de plenitude e comece a comer mais. Como resultado disso, os pacientes podem recuperar peso progressivamente.
Também tem sido demonstrado que quando o cirurgião opta por uma nova cirurgia (revisão cirúrgica), os resultados têm sido indesejáveis por causa dos riscos inerentes ao ato cirúrgico e à alta possibilidade de complicações após o procedimento. Esta observação levou à criação de procedimentos endoscópicos sem corte, cirurgias endoscópicas ou endolumenais, com o objetivo de reduzir o diâmetro da bolsa e anastomose, restaurando-os ao seu tamanho anterior no pós-operatório do primeiro procedimento. Trata-se da recuperação dos resultados anatômicos da primeira cirurgia através de um método menos invasivo e sem cortes.

7- O que pode ser feito – Sutura Endoscópica Overstitch.
A Angioskope oferece aos pacientes previamente qualificados um procedimento de Revisão Cirúrgica Endoscópica pós Cirurgia Bariátrica tipo By pass. Trata-se de um procedimento sem cortes, minimamente invasivo, com sua eficácia comprovada através de diversos estudos científicos multinacionais, através de sutura endoscópica pelo Sistema Overstitch, para reduzir o tamanho de uma saída (anastomose) alargada para as proporções ideais que são alcançadas pela cirurgia primária original.
Este procedimento é realizado usando um endoscópio flexível e dispositivos especializados que permitem suturas capazes de reduzir orifícios e o volume gástrico. Os dispositivos são inseridos através da boca para a bolsa do estômago da mesma maneira que um endoscópio padrão. As suturas são então colocadas em torno da passagem entre o estômago e o intestino, para fins de redução do diâmetro, tipicamente de um estado alargado após maus hábitos alimentares até o diâmetro ideal pós-bariátrico primário. A mesma técnica pode depois ser utilizada para colocar suturas adicionais na bolsa do estômago para reduzir a sua capacidade de volume.

Há grande possibilidade de que seu difícil controle do peso como também o reganho após a cirurgia de Bypass Gástrico, esteja relacionado à expansão ou alongamento da ligação entre a bolsa do estômago e do intestino. Através de uma Endoscopia Digestiva Alta simples, podemos realizar esse diagnóstico e indicar caso a caso, a melhor abordagem para corrigir o problema encontrado.
Evidentemente, a equipe multidisciplinar estará presente para realizar todo o trabalho de mudança do estilo de vida que não foi alcançado com o primeiro procedimento realizado, bem como um estreito acompanhamento com o seu médico assistente.

8- Benefícios do Procedimento Endoscópico na Redução de Estômago.
Cicatrizes e aderências do procedimento inicial gerados pelo Bypass Gástrico muitas vezes fazem a cirurgia de revisão aberta ou laparoscópica muito desafiadora, e às vezes até impossível. A cirurgia de revisão abdominal demora mais do que a cirurgia original e pacientes são três vezes mais propensos a desenvolver complicações graves.
Tendo uma revisão através do procedimento endoscópico, diminui-se os riscos do paciente, quando comparado com a cirurgia de revisão abdominal aberta. Além disso, os pacientes sentem menos dor e desconforto, a recuperação é em via de regra mais rápida, e não tem cicatriz abdominal. Tipicamente, os pacientes vão para casa no mesmo dia, mas a alta de cada paciente varia de acordo com a recomendação do médico de acordo com cada avaliação individual.

9- Efeitos colaterais e complicações dos Procedimentos Endoscópicos.
Prevê-se que os pacientes irão sentir pouco ou nenhum desconforto do procedimento endoscópico. Menores efeitos colaterais podem incluir dor de gás por distensão abdominal, náuseas, dor de garganta, assim como possíveis sangramentos que em sua maioria são autolimitados. Mesmo assim, orientamos que tire todas as dúvidas com seu médico assistente para possíveis complicações inerentes a cada procedimento.

10- Processo de recuperação do Procedimento Endoscópico para Redução de Estômago.
Os pacientes tipicamente irão retornar à sua rotina normal dentro de 72 horas. Após o procedimento de reparação endoscópica, os pacientes devem seguir uma dieta individualizada previamente estipulada pela equipe de Nutrição, assim como exercício físico 10 a 15 dias após o exame.

11- O procedimento é coberto pelo plano de saúde?
Por se tratar de um procedimento alternativo à Cirurgia Bariátrica convencional, vai sempre depender do tipo de plano do paciente. Para mais informações, entre em contato conosco pela central de atendimento e agende sua próxima consulta.

12- Revisão por falha de Cirurgia Bariátrica tipo Sleeve (Gastrectomia Vertical) após Reganho de Peso.
Você já realizou a Cirurgia Bariátrica tipo Sleeve (Gastrectomia Vertical) e apresentou reganho ou parada precoce de perda de peso? Considere a Sutura Endoscópica pelo Sistema Overstitch como revisão cirúrgica por endoscopia.

13- O que é a Cirurgia tipo Sleeve – Gastrectomia Vertical.
O procedimento cirúrgico convencional para obesidade que mais cresce no mundo é a Técnica do Sleeve, sendo um processo restritivo, através da redução por retirada cirúrgica de grande parte do estômago, formado principalmente pela grande curvatura, que forma a maior porção de reserva gástrica para a comida.
Assim como qualquer outro método cirúrgico bariátrico, este procedimento falhará em 20 a 35% dos pacientes por uma variedade de razões que são provavelmente multifatoriais, dentre elas a não adesão à mudança do estilo de vida saudável.
A gastrectomia vertical cirúrgica é um procedimento irreversível. Portanto, uma vez realizada, o paciente deverá conviver o resto da vida com a restrição do órgão e as consequências de sua ausência.
Porém, a partir do 6° ao 12° mês, o estômago pode dilatar-se e a ingesta alimentar pode ser menos restringida, permitindo o estômago operado voltar a ingerir quantias alimentares maiores, aumentando assim o tamanho do prato novamente.

14- Por que o Sleeve Cirúrgico às vezes falha?
A falta de resposta à técnica do Sleeve Cirúrgico como cirurgia anti-obesidade é muitas vezes referida como reganho de peso pós-cirurgia bariátrica.
A recuperação do peso pós cirúrgicos pode muito bem-estar relacionado a maus hábitos alimentares psíquicos, como também comportamentais. No entanto, muitos estudos clínicos científicos têm demonstrado que a porção remanescente do estômago feita menor pela cirurgia pode gradualmente esticar e alargar, fazendo com que o paciente perca a sensação de plenitude e comece a comer mais. Como resultado disso, os pacientes podem recuperar peso progressivamente.
Esta observação levou à criação de procedimentos endoscópicos sem corte, cirurgias endoscópicas ou endolumenais, com o objetivo de reduzir o diâmetro da porção remanescente do estômago, restaurando-a ao seu tamanho anterior no pós-operatório do primeiro procedimento. Trata-se da recuperação dos resultados anatômicos da primeira cirurgia através de um método menos invasivo endoscópico e sem cortes.

15- O que pode ser feito – Sutura Endoscópica Overstitch.
A Angioskope oferece aos pacientes previamente qualificados um procedimento de Revisão Cirúrgica Endoscópica pós Cirurgia Bariátrica tipo Sleeve (Gastrectomia Vertical). Trata-se de um procedimento sem cortes, minimanente invasivo, com sua eficácia comprovada através de diversos estudos científicos internacionais e agora também nacionais, através de sutura endoscópica pelo Sistema Overstitch, para reduzir o tamanho do estômago operado para as proporções ideais que são alcançadas pela cirurgia primária original.
Este procedimento é realizado usando um endoscópio flexível e dispositivos especializados que permitem suturas capazes de reduzir orifícios e o volume gástrico. Os dispositivos são inseridos através da boca para a bolsa do estômago da mesma maneira que um endoscópio padrão. As suturas são então colocadas ao longo do estômago remanescente, para fins de redução do diâmetro e volume total, tipicamente de um estado alargado após maus hábitos alimentares até o diâmetro e volume ideal pós-bariátrico primário.

Através de uma Endoscopia Digestiva Alta simples, podemos realizar esse diagnóstico e indicar caso a caso, a melhor abordagem para corrigir o problema encontrado.

Evidentemente, a equipe multidisciplinar estará presente para realizar todo o trabalho de mudança do estilo de vida que não foi alcançado com o primeiro procedimento realizado, bem como um estreito acompanhamento com o seu médico assistente.

16- O que eu vou sentir depois?
Após o procedimento, o paciente pode apresentar um pouco de dor abdominal, sensação de gases e enjôos/ vômitos, porém os sintomas desaparecem em 24 horas.

17- Qual a estimativa de perda de peso?
Espera-se uma perda de 20 a 30% do peso inicial em média, e o que é melhor, os resultados são duradouros, pois o estômago fica definitivamente pequeno.



A Angioskope traz em primeira mão para o Brasil esse inovador tratamento para a Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE).

O que é Doença do Refluxo (DRGE)?
A DRGE é uma patologia altamente prevalente, que acomete aproximadamente 12% dos brasileiros (cerca de 20 milhões de pessoas).

O esôfago é o órgão que liga a boca ao estômago, transportando a comida de um ao outro. Nessa doença, ocorre uma perda de tônus (hipotonia) da musculatura na transição do esôfago para o estômago, chamada esfíncter esofagiano inferior (EEI). Quando isso ocorre, a válvula existente na junção do esôfago com o estômago não fecha adequadamente após a passagem do alimento. Seria como se ficasse um “portão aberto”. Com o portão aberto, a comida e o suco gástrico – que é extremamente ácido – acabam por refluir, retornando para o esôfago. Por isso que muitas pessoas que tem a DRGE relatam o retorno do alimento até a boca em casos mais graves.

Tratamento eficaz e a longo prazo para a Doença do Refluxo oferecido pela Angioskope.

Como funciona o método Stretta?

Uma sonda é introduzida pelo esôfago, sempre com visão endoscópica direta no monitor de TV. Essa sonda é então posicionada no EEI, no final do esôfago, bem próximo do estômago. Utiliza a energia da radiofrequência para tonificar a musculatura do EEI (o “portão”, anteriormente citado). Com o músculo do EEI mais forte, ele fecha o “portão” do esôfago, impedindo assim a ocorrência do refluxo.

Vantagens do método Stretta para o tratamento da Doença do Refluxo

O método Stretta é realizado totalmente por endoscopia, em caráter ambulatorial, com leve sedação.

É feita uma única sessão, que dura em torno de 40 min, com riscos baixíssimos.

 Resultados de longo prazo (até 10 anos de duração), ou seja, com apenas 1 sessão os resultados se mantêm por até 1 década

 Índice de satisfação dos pacientes acima dos 90%.  

 Quando submetidos ao método, pacientes interromperam ou diminuíram significativamente a quantidade de medicamentos necessária para o tratamento da DRGE.

 

Venha já conhecer esse método inovador para o combate da DRGE já disponível na Angioskope.

 

Entenda mais sobre a Doença do Refluxo

  Sintomas da DRGE

O esôfago é um órgão que não gosta de ácido. A sua mucosa, ao contrário da mucosa do estômago, não foi preparada para receber o ácido gástrico. Por isso, quando ocorre o refluxo (que é ácido, pois vem do estômago), ele “queima” a mucosa (revestimento interno) do esôfago, causando o principal sintoma da DRGE, que é a AZIA.

De tanto o ácido refluir para o esôfago ele pode causar erosões (parecidas com aftas da boca), caracterizando a ESOFAGITE, que é uma inflamação do esôfago causada pelo ácido do estômago, logo uma consequência da DRGE. Existem também as manifestações extra esofágicas da DRGE, que são elas:

  • rouquidão,
  • sinusite crônica,
  • tosse crônica,
  • asma induzida por refluxo,
  • pneumonia por broncoaspiração,
  • desgaste prematuro do esmalte dentário pelo ácido, entre outros.

Complicações da DRGE

Caso não tratada adequadamente, a DRGE pode causar diversas complicações, algumas delas muito graves, como:

  • Estenose do esôfago: um estreitamento do órgão, impedindo a passagem do alimento.
  • Esôfago de Barrett: lesão pré-maligna, onde pode surgir o câncer de esôfago.
  • Câncer de esôfago: o adenocarcinoma de esôfago está diretamente relacionado à DRGE e ao esôfago de Barrett



Exame realizado com sedação, semelhante à colonoscopia, porém usado para a investigação de patologias da porção mais distal do intestino grosso. Há também a necessidade de preparo prévio para a realização do exame. O laudo detalhado e com documentação fotográfica é entregue no mesmo dia, na maior parte dos casos.



——————–
NO DIA DO EXAME:
———————
ACORDAR ÀS CINCO E MEIA DA MANHÃ E MISTURAR, EM UMA JARRA GRANDE, 01 LITRO DE ÁGUA DE COCO OU GATORADE E O RESTANTE DO CONTEÚDO DO FRASCO DE DUPHALAC. TOMAR 01 COPO DE 10 EM 10 MINUTOS ATÉ O TÉRMINO DE TODO O LÍQUIDO.

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:

1-NÃO INGERIR NADA EXCETO O LÍQUIDO DESCRITO ACIMA.

2-PERMANECER SENTADO OU DE PÉ, CAMINHANDO, APÓS A INGESTA DO LÍQUIDO. SE VOCÊ DEITAR, O LÍQUIDO SE ACUMULARÁ NO ESTÔMAGO, DEIXANDO-O COM ENJÔO E NÃO FARÁ SEU CAMINHO ATÉ O INTESTINO, O QUE ACARRETARÁ UM PREPARO INADEQUADO.

3-LIGAR PARA A ANGIOSKOPE (12) 39415107 OU ENTRAR EM CONTATO PELO WHATTSAPP (12) 997874107 CASO O SEU PREPARO NÃO TENHA SIDO EFICAZ. O IDEAL É QUE VOCÊ ESTEJA EVACUANDO SOMENTE LÍQUIDO DE COR AMARELADA, SEMELHANTE À URINA, SEM RESÍDUOS. SE ESTE NÃO FOR O CASO, PODEMOS ORIENTÁ-LO DE MODO A NÃO PERDER O SEU EXAME.

4-LEMBRE-SE QUE PARA QUE HAJA SUCESSO NA COLONOSCOPIA, GRANDE PARTE DEPENDE DE VOCÊ! NA ANGIOSKOPE REALIZAMOS O PROCEDIMENTO GERALMENTE NA PARTE DA MANHÃ, ASSIM NA PARTE DA TARDE SUA DIETA NORMAL JÁ PODERÁ SER RETOMADA!

5-A MEDICAÇÃO DUPHALAC PODERÁ SER UTILIZADA MESMO QUE VOCÊ TENHA INTOLERÂNCIA À LACTOSE.

6-É IMPORTANTE NÃO AGENDAR OUTROS COMPROMISSOS DURANTE O PERÍODO DA MANHÃ. DURANTE OS EXAMES FREQUENTEMENTE ENCONTRAMOS NECESSIDADE DE COLETA DE BIÓPSIAS INESPERADAS OU PRECISAMOS EXECUTAR PROCEDIMENTOS ADICIONAIS, ACARRETANDO ATRASOS. PEDIMOS COMPREENSÃO, POIS CADA PACIENTE NECESSITA DEIXAR A CLÍNICA COM DIAGNÓSTICO COMPLETO PARA QUE HAJA RESOLUÇÃO DO SEU CASO.

OBSERVE COM ATENÇÃO AS IMAGENS A SEGUIR. QUANDO A COLORAÇÃO DE SUAS EVACUAÇÕES ESTIVEREM SEMELHANTES À ÚLTIMA IMAGEM, OU SEJA, AMARELO-CLARA, COMO SE FOSSE URINA, SEU INTESTINO ESTÁ PREPARADO PARA A COLONOSCOPIA.

Anexos:
Preparo Dia do exame.pdf (84 KB) Download



Clique aqui e baixe o arquivo de preparo:
Preparo para véspera e dia do exame.pdf (38 KB) Download

Preparo Véspera do exame

Dieta de baixo resíduo
Esta dieta deverá ser seguida desde o despertar do dia anterior do exame, ou seja, na sua véspera.

Café da Manhã:
01 copo de café preto ou chá, com açúcar ou adoçante.
01 copo de suco claro, como de laranja (coado), maçã, abacaxi, caju.
01 ovo mexido.
02 torradas com manteiga ou margarina. Se optar por geleia, esta não deve conter sementes.

Lanche da Manhã:
01 copo de suco claro, como de laranja (coado), maçã, abacaxi ou caju.

ÀS DEZ HORAS DA MANHÃ TOMAR 02 COMPRIMIDOS DE DULCOLAX VIA ORAL.

Almoço:
01 bife fino ou 01 filé de frango pequeno, 01 colher de sopa de cenouras bem cozidas e 01 colher de espinafre bem cozido ou Salada de Alface bem picada temperada com vinagre, azeite e sal. Não colocar molhos a base de maionese. 01 filé de frango ou frango desfiado-200g, refogado.

Lanche da tarde:
01 torrada com manteiga ou margarina e 01 copo de água de coco.

ÀS QUATRO HORAS DA TARDE TOMAR 02 COMPRIMIDOS DE DULCOLAX VIA ORAL.

Jantar:
Frango desfiado refogado-200g, 02 colheres de sopa de arroz branco ou 01 filé de peixe tipo Saint Peter, Merluza ou linguado, grelhado, e 02 colheres de sopa de arroz branco.
Durante todo o dia está permitido o consumo ilimitado de sucos claros coados e de água de coco, até as 22 horas.

Alimentos que NÃO devem ser consumidos:
Sementes, nozes, amêndoas, coco, incluídos aqueles encontrados em torradas ou pães integrais.
Pães, cereais, barra de cereais, macarrão.
Frutas cruas ou desidratadas.
Outros vegetais que não alface e espinafre.
Batatas com casca.
Feijão, lentilha ou tofu.
Embutidos.
Queijos.
Geleias que contenham sementes, nutella, pasta de amendoim.
Pipoca.
Sucos com polpa.

ÀS OITO HORAS DA NOITE TOMAR 02 COLHERES DE SOPA DE DUPHALAC, JUNTO À 500ML DE GATORADE OU ÁGUA.

Preparo para o dia do exame

PACIENTES QUE IRÃO FAZER EXAME NO PERÍODO DA MANHÃ.

NO DIA DO EXAME:
Acordar às cinco e meia da manhã e misturar, em uma jarra grande, 01 litro de água de coco ou Gatorade e o restante do conteúdo do frasco de Duphalac. Tomar 01 copo de 10 em 10 minutos até o término de todo o líquido.

PACIENTES QUE IRÃO FAZER EXAME NO PERÍODO DA TARDE.

NO DIA DO EXAME:
Acordar às 07:00hs da manhã e tomar 1 xícara de Chá de cor clara ou Café com adoçante seguido de 1 torrada.
As 09:00hs da manhã em uma jarra grande, colocar 01 litro de água de coco ou Gatorade e o restante do conteúdo do frasco de Duphalac. Tomar 01 copo de 10 em 10 minutos até o término de todo o líquido.


OBSERVAÇÕES IMPORTANTES PARA TODOS OS PACIENTES:

  • Não ingerir nada exceto o liquido descrito acima.
  • Permanecer sentado ou de pé, caminhando, após a ingesta do líquido. Se você deitar, o líquido se acumulará no estômago, deixando-o com enjoo, e não fará seu caminho até o intestino, o que acarretará um preparo inadequado.
  • Ligar para a Angioskope (12)3941-5107 / 3941-5452 caso o seu preparo não tenha sido eficaz. O ideal é que você esteja evacuando somente líquido de cor amarelada, semelhante à urina, sem resíduos. Se este não for o caso, podemos orientá-lo de modo a não perder o seu exame.
  • Lembre-se que para que haja sucesso na colonoscopia, grande parte depende de você! Na Angioskope realizamos o procedimento na parte da manhã, assim na parte da tarde sua dieta normal já poderá ser retomada!
  • A medicação Duphalac poderá ser utilizada mesmo que você tenha intolerância à lactose.

É importante não agendar outros compromissos durante o período da manhã. Durante os exames frequentemente encontramos necessidade de coletas de biópsias inesperadas ou precisamos executar procedimentos adicionais, acarretando atrasos. Pedimos compreensão, pois cada paciente necessita deixar a clínica com diagnóstico completo para que haja resolução de seu caso.

Observe com atenção ás imagens a seguir. Quando a coloração de suas evacuações estiverem semelhantes à última imagem, ou seja, amarelo-clara, como se fosse urina, seu intestino está preparado para a colonoscopia.

Clique aqui e baixe o arquivo de preparo:
Preparo para véspera e dia do exame.pdf (38 KB) Download



A colonoscopia também é uma endoscopia, no entanto, é o exame que promove a avaliação, sob visão direta, do reto, intestino grosso (cólon) e, na grande maioria dos casos o íleo terminal (parte final do intestino delgado).

Assim como a endoscopia digestiva alta, a colonoscopia é inicialmente um exame diagnóstico. Porém, com o aperfeiçoamento da técnica, a evolução dos equipamentos e o desenvolvimento de novos acessórios, passou a ser um procedimento terapêutico que permite o tratamento de muitas anormalidades, como retiradas de pólipos e de tumores precoces.

Durante a colonoscopia, pode-se diagnosticar os pólipos do cólon e do reto, os divertículos, os tumores, as angiodisplasias (mal-formações de vasos sanguíneos), as colites, como por exemplo a retocolite ulcerativa inespecífica e a doença de Crohn, entre outras.

A colonoscopia é um procedimento muito seguro. Estatisticamente, as complicações ocorrem em menos de 0,35% dos exames diagnósticos realizados.

Preparando para o Exame
O preparo para o exame de colonoscopia é uma etapa incômoda ao paciente, mas facilmente suportável e fundamental para a qualidade e sucesso do exame. O intuito do preparo do cólon é promover a “limpeza” do intestino grosso, através do aumento no número de evacuações. Esse preparo se inicia com uma dieta específica 48 horas antes do exame, seguida pela administração de comprimidos laxativos na véspera, e no dia do exame, a ingestão de uma substância líquida (lactulose), a qual promove o aumento no número das evacuações e a “limpeza” do intestino.

A lavagem intestinal é outro método que pode ser usado para promover a “limpeza” do intestino grosso. Todavia, é mais utilizada como complemento ao preparo por via oral, quando esse não é suficiente para a “limpeza” completa do intestino.

Existem algumas raras exceções onde o preparo de cólon deve ser feito sem comprimidos laxativos ou até mesmo sem o Manitol.

Sedação
A colonoscopia, igualmente a endoscopia digestiva alta, é realizada sob sedação – com o auxílio do médico anestesista quando necessário – para proporcionar um maior conforto durante o procedimento e facilitar a aderência do paciente aos exames futuros. Atualmente, as medicações utilizadas para a sedação em exames endoscópicos são muito seguras e com resultados muito satisfatórios.

Exame

Indicações para Colonoscopia Diagnóstica
Atualmente, a colonoscopia apresenta uma atuação terapêutica (tratamento direto de algumas doenças) satisfatória e muito segura, por ser minimamente invasiva e proporcionar ótimos resultados. Em alguns casos, a colonoscopia promove a cura de algumas doenças, evitando que a cirurgia convencional seja realizada.

São consideradas indicações para colonoscopia, entre outras:

Retirada de pólipos do cólon e do reto (polipectomias).
Retirada de tumores precoces (atingem somente a camada mais interna do intestino)
Hemostasias (parada de sangramentos).
Dilatação de estenoses (estreitamentos) do intestino grosso e reto.
Tratamento paliativo dos tumores avançados do cólon e reto.

Biópsias
Realizar biópsia é o ato de retirar uma ou mais amostras (pequenos pedaços) da lesão a ser avaliada microscopicamente pelo médico patologista. Esse procedimento pode ser feito para a confirmação do diagnóstico de tumores, processos inflamatórios, doenças pré-malignas e outras.

Preparo Véspera do exame

Clique aqui e baixe o arquivo de preparo:
Preparo para véspera e dia do exame.pdf (38 KB) Download
Dieta de baixo resíduo
Esta dieta deverá ser seguida desde o despertar do dia anterior do exame, ou seja, na sua véspera.

Café da Manhã:
01 copo de café preto ou chá, com açúcar ou adoçante.
01 copo de suco claro, como de laranja (coado), maçã, abacaxi, caju.
01 ovo mexido.
02 torradas com manteiga ou margarina. Se optar por geleia, esta não deve conter sementes.

Lanche da Manhã:
01 copo de suco claro, como de laranja (coado), maçã, abacaxi ou caju.

ÀS DEZ HORAS DA MANHÃ TOMAR 02 COMPRIMIDOS DE DULCOLAX VIA ORAL.

Almoço:
01 bife fino ou 01 filé de frango pequeno, 01 colher de sopa de cenouras bem cozidas e 01 colher de espinafre bem cozido ou Salada de Alface bem picada temperada com vinagre, azeite e sal. Não colocar molhos a base de maionese. 01 filé de frango ou frango desfiado-200g, refogado.

Lanche da tarde:
01 torrada com manteiga ou margarina e 01 copo de água de coco.

ÀS QUATRO HORAS DA TARDE TOMAR 02 COMPRIMIDOS DE DULCOLAX VIA ORAL.

Jantar:
Frango desfiado refogado-200g, 02 colheres de sopa de arroz branco ou 01 filé de peixe tipo Saint Peter, Merluza ou linguado, grelhado, e 02 colheres de sopa de arroz branco.
Durante todo o dia está permitido o consumo ilimitado de sucos claros coados e de água de coco, até as 22 horas.

Alimentos que NÃO devem ser consumidos:
Sementes, nozes, amêndoas, coco, incluídos aqueles encontrados em torradas ou pães integrais.
Pães, cereais, barra de cereais, macarrão.
Frutas cruas ou desidratadas.
Outros vegetais que não alface e espinafre.
Batatas com casca.
Feijão, lentilha ou tofu.
Embutidos.
Queijos.
Geleias que contenham sementes, nutella, pasta de amendoim.
Pipoca.
Sucos com polpa.

ÀS OITO HORAS DA NOITE TOMAR 02 COLHERES DE SOPA DE DUPHALAC, JUNTO À 500ML DE GATORADE OU ÁGUA.

Preparo para o dia do exame

PACIENTES QUE IRÃO FAZER EXAME NO PERÍODO DA MANHÃ.

NO DIA DO EXAME:
Acordar às cinco e meia da manhã e misturar, em uma jarra grande, 01 litro de água de coco ou Gatorade e o restante do conteúdo do frasco de Duphalac. Tomar 01 copo de 10 em 10 minutos até o término de todo o líquido.

PACIENTES QUE IRÃO FAZER EXAME NO PERÍODO DA TARDE.

NO DIA DO EXAME:
Acordar às 07:00hs da manhã e tomar 1 xícara de Chá de cor clara ou Café com adoçante seguido de 1 torrada.
As 09:00hs da manhã em uma jarra grande, colocar 01 litro de água de coco ou Gatorade e o restante do conteúdo do frasco de Duphalac. Tomar 01 copo de 10 em 10 minutos até o término de todo o líquido.


OBSERVAÇÕES IMPORTANTES PARA TODOS OS PACIENTES:

  • Não ingerir nada exceto o liquido descrito acima.
  • Permanecer sentado ou de pé, caminhando, após a ingesta do líquido. Se você deitar, o líquido se acumulará no estômago, deixando-o com enjoo, e não fará seu caminho até o intestino, o que acarretará um preparo inadequado.
  • Ligar para a Angioskope (12)3941-5107 / 3941-5452 caso o seu preparo não tenha sido eficaz. O ideal é que você esteja evacuando somente líquido de cor amarelada, semelhante à urina, sem resíduos. Se este não for o caso, podemos orientá-lo de modo a não perder o seu exame.
  • Lembre-se que para que haja sucesso na colonoscopia, grande parte depende de você! Na Angioskope realizamos o procedimento na parte da manhã, assim na parte da tarde sua dieta normal já poderá ser retomada!
  • A medicação Duphalac poderá ser utilizada mesmo que você tenha intolerância à lactose.

É importante não agendar outros compromissos durante o período da manhã. Durante os exames frequentemente encontramos necessidade de coletas de biópsias inesperadas ou precisamos executar procedimentos adicionais, acarretando atrasos. Pedimos compreensão, pois cada paciente necessita deixar a clínica com diagnóstico completo para que haja resolução de seu caso.

Observe com atenção ás imagens a seguir. Quando a coloração de suas evacuações estiverem semelhantes à última imagem, ou seja, amarelo-clara, como se fosse urina, seu intestino está preparado para a colonoscopia.

Clique aqui e baixe o arquivo de preparo:
Preparo para véspera e dia do exame.pdf (38 KB) Download



Atualmente, com a proibição pela ANVISA de muitos inibidores do apetite a base de anfetaminas e também por ser a escolha do método cirúrgico (cirurgias bariátricas) um procedimento irreversível, o Balão Intragástrico (BIG) passou a ser uma alternativa para aqueles que querem perder peso de forma mais saudável e conservadora. Trata-se de um dispositivo de silicone que após bem posicionado no estômago por via endoscópica, é insuflado com volume ajustável de soro fisiológico somado a um corante de azul de metileno, respeitando a anatomia gástrica. Deverá permanecer no mínimo por 6 meses, a depender do balão escolhido.

Foi projetado para provocar uma sensação de saciedade precoce e diminuir a capacidade do reservatório gástrico, devido ao seu volume e ao seu peso, diminuindo com isso o consumo de alimentos e facilitando a adaptação a uma dieta hipocalórica. Deve ser associado a uma mudança na rotina de vida, incluindo atividade física.

Pacientes que usam o balão estão capacitados à uma alimentação normal, especialmente líquido e dietas programadas, mas limitada em quantidade, não em qualidade, que deve ser orientada por um nutricionista.



Preparo para o exame:
O preparo para o exame de endoscopia digestiva alta é bem simples, e se resume basicamente no jejum de 12 horas, inclusive para líquidos. Existem algumas exceções em relação ao tempo de jejum, quando, devido a algumas doenças preexistentes, deve-se prolongar ou até mesmo ignorar-se o tempo de jejum. Em relação às medicações já utilizadas pelo paciente diariamente, essas devem ser avaliadas individualmente, mantendo-as ou suspendendo-as até o término do procedimento.
VIR COM ACOMPANHANTE QUE DIRIJA E SEJA MAIOR DE 18 ANOS!



Agilidade, conforto e segurança são os sinônimos do exame de endoscopia digestiva alta realizada na clínica ANGIOSKOPE. Quando falamos em qualidade de realização de exames, devemos levar em consideração quatro aspectos. O primeiro deles é a descrição acurada do laudo, visto que será ele a nortear o tratamento proposto pelo médico solicitante.

A seguir a qualidade e quantidade das fotos, para ilustrar o que foi descrito e como prova documental para comparação com exames anteriores de lesões encontradas. Não menos importante, a qualidade dos aparelhos existentes na clínica, sempre buscando o que há de mais novo e melhor no mercado mundial.

Por fim, o rigor na limpeza e desinfecção de todos os utensílios e equipamentos utilizados, porque cada pequena peça envolvida necessita do tempo correto para que possa ser utilizada novamente com toda a certeza de que está completamente livre de microorganismos transmissíveis. Para que se possa atender vários pacientes em um único período do dia, a clínica precisa estar equipada com um grande número de gastroscópios – o nome do aparelho que faz a endoscopia – para que não haja necessidade de espera na desinfecção. Enquanto três aparelhos estão passando pelo processo de limpeza, outro está pronto para uso.

Na ANGIOSKOPE a sedação propicia conforto pleno e segurança ao paciente: de início rápido de ação, profunda e curta duração, a endoscopia deixa de ser um exame incômodo e temido. O paciente pode dormir tranquilamente sabendo que todos os outros quesitos importantíssimos já citados estarão sendo cumpridos, para que saia com uma solução para seu problema.



A endoscopia digestiva alta (E.D.A.), também conhecida somente como endoscopia, é o exame onde se promove a avaliação sob visão direta do esôfago, estômago e duodeno (habitualmente até a segunda porção duodenal, a qual é a primeira parte do intestino delgado). É inicialmente um exame diagnóstico. Porém, com o aperfeiçoamento da técnica, a evolução dos equipamentos e o desenvolvimento de novos acessórios, a endoscopia digestiva passou a ser um procedimento terapêutico, permitindo o tratamento de muitas anormalidades.

Através da endoscopia digestiva alta pode-se diagnosticar as esofagites, as gastrites, as úlceras, a hérnia de hiato, os pólipos, os tumores e outras doenças do aparelho digestivo.

Preparo para o exame:
O preparo para o exame de endoscopia digestiva alta é bem simples, e se resume basicamente no jejum de 12 horas, inclusive para líquidos. Existem algumas exceções em relação ao tempo de jejum, quando, devido a algumas doenças preexistentes, deve-se prolongar ou até mesmo ignorar-se o tempo de jejum. Em relação às medicações já utilizadas pelo paciente diariamente, essas devem ser avaliadas individualmente, mantendo-as ou suspendendo-as até o término do procedimento.
VIR COM ACOMPANHANTE QUE DIRIJA E SEJA MAIOR DE 18 ANOS!

<iframe width=”560″ height=”315″ src=”https://www.youtube.com/embed/uMJRhsB6xgo” frameborder=”0″ allow=”autoplay; encrypted-media” allowfullscreen></iframe>

Sedação:
A endoscopia é realizada sob sedação (com o auxilio do médico anestesista, se necessário) para proporcionar um maior conforto durante o procedimento e facilitar a aderência do paciente aos exames futuros. As medicações utilizadas atualmente para a sedação em exames endoscópicos são muito seguras e praticamente sem efeitos colaterais ao término do exame.
Na ANGIOSKOPE utilizamos medicação de início de ação rápido e de curta duração. O que isso significa? Que o paciente dormirá muito rapidamente, um sono profundo e reparador, mas de curta duração, não interferindo nos demais compromissos de seu dia.

Indicações para Endoscopia Digestiva Alta Diagnóstica:
Indicar uma endoscopia digestiva alta requer uma avaliação minuciosa dos sinais e sintomas do paciente, sejam eles digestivos, respiratórios ou até mesmo inespecíficos, mas que requerem atenção por serem sinais de alerta.

São consideradas indicações para endoscopia digestiva alta diagnóstica:

Sintomas de refluxo do conteúdo do estômago para o esôfago (gastroesofágico).
Sinais e sintomas relacionados ao aparelho digestivo (dor abdominal, dificuldade para engolir, náuseas, vômitos e outros).
Sinais e sintomas relacionados ao aparelho respiratório que possam ser decorrentes de refluxo gastroesofágico (tosse, rouquidão e outros).
Sinais e sintomas inespecíficos de alerta (anemia, emagrecimento).
Pré-operatório de cirurgia bariátrica (tratamento da obesidade).
Seguimento de entidades pré-malignas (pólipos adenomatosos, esôfago de Barrett e outros).
Seguimento após cirurgia do estômago (gastrectomias).
Doenças do esôfago, estômago ou duodeno, diagnosticadas por outros métodos ou não, e que necessitem de biópsias para confirmação ou acompanhamento (úlcera, câncer e outros).
Pesquisa do Helicobacter pylori, quando indicado.
Investigação de varizes de esôfago em pacientes portadores de doenças do fígado (cirrose).
Investigação de sangramento do aparelho digestivo (hemorragia).

Indicações para Endoscopia Digestiva Alta Terapêutica:
Nos dias atuais, a endoscopia digestiva alta apresenta uma atuação terapêutica (tratamento direto de algumas doenças) satisfatória e muito segura, por ser minimamente invasiva e proporcionar ótimos resultados. Em alguns casos, a endoscopia terapêutica promove a cura de algumas doenças, evitando que a cirurgia convencional seja realizada.

São consideradas indicações para endoscopia digestiva alta terapêutica, entre outras:

Tratamento de varizes de esôfago e estômago (profilaxia ou em vigência do sangramento).
Retirada de pólipos do estômago (polipectomia).
Ressecção de câncer precoce (mucosectomia).
Dilatação de estenoses (estreitamentos) do esôfago, estômago ou duodeno.
Retiradas de corpos estranhos engolidos (moedas, espinhas de peixe e outros).
Tratamento da hemorragia (úlceras, varizes e outros).
Passagem de balão intragástrico para tratamento da obesidade.
Realização de gastrostomia endoscópica (colocação de sonda gástrica para alimentação).

Biópsias:
Realizar biópsia é o ato de retirar uma ou mais amostras (pequenos pedaços) da lesão a ser avaliada microscopicamente pelo médico patologista. Esse procedimento pode ser feito para a confirmação do diagnóstico de tumores, processos inflamatórios, doenças pré-malignas e pesquisa da bactéria Helicobacter pylori.


angioskope-logo-branco-320x90

Profissionais médicos atuantes e técnicos auxiliares capacitados durante a realização dos procedimentos, bem como aparelhos de última geração também fazem parte do arsenal da clínica para trazer aos nossos clientes um atendimento compatível com aquilo que pregamos.

Facebook



Quer saber mais?
Acesse nossas redes sociais

Angioskope 2017. Todos os direitos reservados.