Carregando...



Angioskope

INOVAÇÃO DESDE 2008


As hemorroidas são veias dilatadas e salientes na região anal que podem ser internas ou externas, podendo provocar sintomas como coceira e dor anal, dificuldade para defecar e presença de sangue nas fezes.

O tratamento consiste na aplicação de pomadas com propriedades vasoconstritoras, analgésicas e anti-inflamatórias, remédios para aliviar a dor, ou mesmo cirurgia.

Quais os sintomas?
Os principais sintomas de hemorroidas geralmente incluem:

  • Sangue vermelho vivo ao redor das fezes ou no papel higiênico após limpar-se;
  • Coceira no ânus;
  • Dificuldade para defecar;
  • Saída de um líquido esbranquiçado pelo ânus, principalmente no caso de hemorroidas internas;
  • Dor anal que pode surgir ao evacuar, andar ou sentar, especialmente no caso de hemorroidas externas;

Quando a hemorroida é externa, sente-se também uma saliência no ânus ou uma fissura anal.

Possíveis causas
Não existe uma causa exata para o aparecimento das hemorroidas, no entanto, uma má alimentação, má postura corporal ou prisão de ventre podem contribuir para a sua formação.Além disso, outras causas podem estar na origem do aparecimento das hemorroidas, como obesidade, pré-disposição genética ou gravidez, por exemplo.

Como é feito o tratamento?
As hemorróidas têm cura e os remédios que podem ser indicados para as tratar são as pomadas como Hemovirtus, Proctosan ou Proctyl, com propriedades vasoconstritoras, analgésicas e anti-inflamatórias, que devem ser usadas sob orientação do médico ou farmacêutico.

Além disso, podem ainda ser usados remédios como o paracetamol ou o ibuprofeno, que devem ser utilizados sob orientação médica para aliviar o inchaço e a dor causada pela hemorroida, ou mesmo remédios como Diosmin e Velunid que melhoram a circulação sanguínea e protegem as veias.

Porém, quando a hemorroida não desaparece com nenhum destes tratamentos ou volta a aparecer, pode ser necessário recorrer a cirurgia.

O problema é que MUITOS PACIENTES NÃO DESEJAM FAZER A CIRURGIA, OU MESMO Á FIZERAM E TIVERAM RECIDIVA DA DOENÇA HEMORROIDÁRIA.

Tratamento com Microespuma.

Na ANGIOSKOPE, um tratamento pioneiro, unindo a expertise de um endoscopista (Dra. Anna Carolina), com um cirurgião vascular (Dr. Euvaldo). A substância utilizada e a técnica empregada para tratamento de varizes de grosso calibre, com a MICROESPUMA injetada, sob SEDAÇÃO, nos MAMILOS HEMORROIDÁRIOS, com TAXA DE SUCESSO DE MAIS DE 86% JÁ NA PRIMEIRA APLICAÇÃO, E DE MAIS DE 95% COM A SEGUNDA SESSÃO.

DESTA FORMA, POSSIBILITAMOS UM TRATAMENTO EFICAZ, RÁPIDO E INDOLOR PARA UMA CONDIÇÃO QUE ANTES APRESENTAVA SOLUÇÃO MEDICAMENTOSA OU CIRÚRGICA.

Microespuma.



A doença hemorroidária é um distúrbio que afeta até 50% da nossa população em algum momento da vida.
Embora exista controvérsia se ela acomete mais homens do que mulheres (talvez porque as mulheres procurem mais um diagnóstico e tratamento), sabe-se que ela afeta principalmente as pessoas entre 30 e 60 anos. É caracterizada pela dilatação das veias do plexo hemorroidário, situadas entre o ânus e o reto. A doença hemorroidária pode ser classificada em interna (situada de 1,5 a 2 cm acima da abertura anal) e externa (externamente à abertura anal). Existem vários fatores que predispõem ao seu surgimento, entre eles:
• Constipação intestinal• Diarreias crônicas• Obesidade e sobrepeso• Gravidez• Permanecer sentado por tempo prolongado• Sexo anal• Hipertensão portal• Tabagismo
Os sinais clínicos podem ser evidenciados através de prolapso dessas dilatações venosas, sangramento que normalmente não se mistura às fezes (pingos de sangue vermelho vivo na água do vaso sanitário ou manchas no papel higiênico), prurido anal, queimação e dor. O diagnóstico basicamente se faz pela história clínica e pelo exame físico, podendo lançar-se mão de outros exames para excluir outros diagnósticos, pois sangue nas fezes é um sinal de alerta para outras doenças muito importantes. Estes exames incluem a retossigmoidoscopia e a colonoscopia, solicitados a critério médico.
O tratamento clínico visa aliviar os sintomas por meio tanto de cuidados locais, orientação dietética e de hábitos de higiene diferenciados. Nas hemorroidas externas, o paciente deve realizar a higiene anal com água ao invés de papel higiênico e utilizar pomadas analgésicas. Algumas vezes medicamentos também podem ser prescritos, para serem tomados por via oral.
A dieta deve ser rica em fibras e líquidos, a fim de evitar a obstipação intestinal e consequentemente maior esforço durante a evacuação.Evitar a ingesta de álcool e pimenta, que apesar de não causarem as hemorroidas, podem piorar os sintomas.
O tratamento da hemorroida interna pode ser complementado por procedimentos minimamente invasivos, tais como a ligadura elástica, fotocoagulação infravermelha e a escleroterapia. O tratamento cirúrgico, com ressecção e ligadura das veias dilatadas é indicado em caso de falha dos outros tratamentos, ou quando existe contra-indicação aos mesmos.
Na clínica ANGIOSKOPE realizamos o método da escleroterapia com microespuma, o que amplifica a sua ação esclerosante quando comparada à escleroterapia líquida simples. É uma técnica segura e que pode ser realizada sob sedação em ambiente ambulatorial, sem necessidade de internação, com recuperação precoce.



Técnica que permite o tratamento de veias maiores, com rápida recuperação do paciente. Um catéter de fibra ótica é introduzido dentro das varizes e dispara pulsos de raio laser. A veia danificada é absorvida pelo organismo. As caminhadas são estimuladas no pós-operatório. A dor no pós-operatório tende a ser menor, o que favorece a recuperação mais rápida.



Tratamento de secagem de varizes de médio e grande calibre muito difundido por boa parte do mundo. Injeta-se essa microespuma previamente confeccionada, dentro das varizes, podendo inclusive ser guiado por ultrassom. Indicado em diversas situações de casos mais avançados. Não necessita de anestesia e nem de repouso após o procedimento.



Tratamento realizado também com injeção de substância esclerosante dentro dos vasinhos, porém essa substância encontra-se a baixíssimas temperaturas, o que aumenta sua capacidade de ação, otimizando os resultados. Método extremamente eficaz e seguro para determinados tipos de microvasos.



Tratamento no qual realizam-se injeções com uma agulha extremamente fina de substância esclerosante dentro dos vasinhos. Método simples, eficaz e extremamente seguro para a secagem daqueles vasinhos (telangiectasias) que incomodam esteticamente uma grande parcela das mulheres. Pode-se ainda associar esse tratamento à crioterapia, que é o uso de jato de ar a baixas temperaturas, o que minimiza muito o desconforto da agulha durante o procedimento.



De acordo com a extensão das varizes, pode ser necessária a realização de cirurgia de pequeno porte, com anestesia local, ou de maior porte, com anestesia regional ou geral. Normalmente, as cirurgias de varizes apresentam poucos riscos e a ocorrência de complicações no pós-operatório é bastante reduzida. A remoção de veias é feita com a técnica da “agulha de crochê”, em que as veias são “pescadas” através de uma pequena incisão e retiradas. Devido à sua simplicidade e eficiência, essa técnica pode ser empregada em vários tipos de casos, com bons resultados clínicos e estéticos.



Depois de um diagnóstico preciso, é necessário escolher a melhor técnica para tratar cada tipo de lesão para cada paciente.

Além da técnica cirúrgica descrita no tópico “cirurgia”, existem modalidades de tratamento que utilizam-se da tecnologia para oferecer meios de tratamento menos invasivos.



Sintomas

A principal queixa dos pacientes com varizes diz respeito à estética. E quanto mais visíveis, mais os vasos e varizes parecem incomodar desse ponto de vista. Há, no entanto, outros possíveis sintomas:

• sensação de peso e fadiga nas pernas;

• dor nas pernas;

• inchaço, especialmente nos tornozelos, ao final do dia;

• prurido (coceira);

• cãibras;

• sensação de fadiga nas pernas;

• descamação da pele.


angioskope-logo-branco-320x90

Profissionais médicos atuantes e técnicos auxiliares capacitados durante a realização dos procedimentos, bem como aparelhos de última geração também fazem parte do arsenal da clínica para trazer aos nossos clientes um atendimento compatível com aquilo que pregamos.

Facebook



Quer saber mais?
Acesse nossas redes sociais

Angioskope 2017. Todos os direitos reservados.